...o meu "sketchbook"... o meu bloco de notas... o meu eu...

04
Jan 09

Esquecer,

Como corrente que lava a mente,

estando esta ou não ciente

do que está a acontecer.

 

Esquecer,

como brasa que atrasa

o lembrar de lar ou casa

que um dia foi viver

 

Esquecer,

como rajada tão arrojada

que faz da vida tão amada

experiencia ainda por ter.

 

Esquecer,

como terra que enterra,

dos amores até à guerra,

todos os feitos, sem se saber.

 

Esquecer amores,

esquecer paixões;

Esquecer os donos dos nossos corações.

Esquecer-se da vida,

até mesmo da morte.

Esquecer é um azar, ou talvez uma sorte.

 

E esquecem-se por tantas razões,

tantas memórias ou ilusoes...

Esquece-se por vontade,

esquece-se por saudade.

Esquece-se sem anotar

esquece-se por não anotar.

 

No fim de tudo

à que entender

que no fundo, no fundo,

esquecer,

é não querer esquecer.

 

(Depois de o poema ler

concluo, com prazer,

que só não me o esqueci de escrever)

 

 


2 comentários...:
Ora eu pensava que era uma espécie rara por gostar de poesia e por escrevê-la. Pelos vistos, parece que partilhas o mesmo gosto. Este poema está muito giro, gosto muito! :D

Ah, e satisfazendo a curiosidade: todos os conteúdos do meu blog são escritos por mim. Quando não o são eu atribuo os créditos de forma devida :)
Bolacha a 5 de Janeiro de 2009 às 17:51

a memória é ser viajante. a vida é a alegria do reencontro.
Ana a 24 de Janeiro de 2009 às 13:33

quantos cá passaram...
track visits
Game Rental Services
quantos cá passaram...
track visits
Game Rental Services
Ouvir e Ler....


MusicPlaylist
Music Playlist at MixPod.com

palavras passadas
procurar neste bloco
 
Janeiro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31